Assine a nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo

Como reduzir custos industriais frente à crise?

Como reduzir custos industriais frente à crise?

Confira nossas dicas e saiba como reduzir custos industriais nesse momento sem comprometer a qualidade e segurança de suas operações!

Já são 3 meses de quarentena e distanciamento social, em uma crise sem precedentes na saúde e na economia. Segundo o levantamento realizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), 92% das indústrias brasileiras consultadas estão sofrendo com impactos negativos em decorrência da COVID-19. Nesse cenário, a redução dos custos industriais e o aumento das vendas são a principal rota para enfrentar essa fase.

Antes de qualquer decisão, no entanto, é preciso tomar alguns cuidados. Em meio à tempestade, devemos ter uma visão clara do que está à nossa volta, avançando em uma velocidade segura para o nosso negócio e também para o nosso time.

O que queremos dizer com isso na prática? Não adianta acelerar as vendas e cortar diversos custos industriais sem ponderar todos os riscos e as oportunidades.

A partir da integração e sinergia entre as equipes do comercial e financeiro com a produção e logística, é possível estabelecer estratégias mais assertivas para a lucratividade e economia da sua indústria.
Confira nossas dicas e saiba como reduzir os gastos nesse momento sem comprometer a qualidade e segurança de suas operações!

5 Dicas para diminuir os custos industriais de forma estratégica

1. Conheça os seus custos industriais

Parece óbvio, mas é comum que empresas não tenham clareza sobre todos os seus custos industriais, ou ao menos o que eles representam para o processo produtivo, principalmente quando falamos em gastos variáveis e indiretos.

Antes de optar por demissões, troca de fornecedores, substituição de matérias-primas, e o adiamento de qualquer tipo de investimento, identifique e avalie todos os seus custos industriais diretos, indiretos, fixos e variáveis.

Compreendendo os processos, os equipamentos e as práticas que mais geram desperdícios para a sua indústria, você garante a precificação adequada de seus produtos e serviços, atua na raiz do problema e previne quedas na qualidade da sua produção.

2. Elimine os prejuízos

Acidentes de trabalho, paradas inesperadas nos equipamentos por falta de manutenção e processos falhos ou redundantes estão entre as principais causas de perdas nas indústrias.

Portanto, evitar esses prejuízos é o primeiro cuidado para eliminar custos industriais excessivos e desnecessários. Garantir a segurança de seus trabalhadoresComo reduzir custos industriais frente à crise? e de suas instalações não poderia ser um investimento mais importante para o seu negócio!

3. Previna os desperdícios

Outra causa de perda que deve estar no radar de todo gestor industrial é o desperdício de tempo, de recursos e de produtos. Equipamentos e profissionais ociosos, problemas na qualidade, contaminações e avarias, por exemplo, geram a necessidade de recalls, retrabalhos, atrasos e, em alguns casos, até mesmo multa e processos judiciais.

Uma solução estratégica é apostar em métodos produtivos focados na prevenção de desperdícios, como o sistema Lean Manufacturing. Além disso, é sempre importante implementar ferramentas integradas para a gestão da qualidade, mantendo as inspeções periódicas e o controle de todas as etapas.

4. Reduza o seu principal custo industrial: energia elétrica

A energia elétrica chega a representar mais de 40% dos custos industriais relativos à produção. De acordo com a CNI (Confederação Nacional das Indústrias), esse índice vem aumentando desde 2016, tornando-se uma das principais preocupações entre técnicos, engenheiros e gestores.

O custo da energia elétrica é variável e influenciado por fatores internos e externos à sua organização, mas alguns cuidados simples podem garantir a redução significativa desse consumo.

O dimensionamento da planta e dos compressores de ar, a manutenção preditiva dos filtros do ar condicionado, além do controle da troca de ar e perda de pressão entre os ambientes, por exemplo, resultam em elevada economia no dia a dia da sua produção.

5. Saiba ponderar o custo x valor de seus investimentos

Um dos maiores enganos no controle de custos industriais é encarar o adiamento dos investimentos como premissa, evitando qualquer iniciativa que possa gerar um gasto adicional em meio a um cenário de crise.
Aqui, o segredo é considerar não apenas o custo inicial de suas soluções, mas também os gastos ou a economia que esse investimento pode representar a médio e longo prazo para a sua indústria.

Escolher matérias-primas e equipamentos mais baratos, porém com qualidade inferior ou um processo logístico mais caro e complexo, por exemplo, resulta em custos recorrentes com manutenções, retrabalhos ou desperdícios, se mostrando um mau negócio a longo prazo.

Da mesma forma, há diversas soluções que, apesar de mais caras à primeira vista, são capazes de minimizar desperdícios, contribuir com a produtividade e a redução de custos industriais, como a própria energia elétrica, promovendo maior economia em sua rotina operacional.

A análise do TCO (Total Cost of Ownership), traduzido para o português como Custo Total de Propriedade, deve colocar ambos os aspectos na balança para garantir um controle financeiro estratégico e assertivo!

Especialista em soluções logísticas focadas no controle de qualidade, segurança e produtividade nas indústrias, a RAYFLEX conta com um portfólio completo de portas rápidas, niveladoras e abrigos para docas. Nossos produtos são projetados para otimizar o seu fluxo de operações, prevenindo riscos, acidentes e contaminações em seu ambiente fabril.

Conte com soluções inteligentes para minimizar os seus custos industriais e responder à crise com agilidade, segurança e eficiência. Confira nossos catálogos e entenda como podemos te ajudar nessa fase!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *